sexta-feira, 1 de junho de 2018

Fascinante pilotar a Turbo Levo Specialized no Festival Brasil Ride

Como vencedor do concurso Levo Math Racing postando várias fotos de minha autoria pedalando mundo afora, o Professor Arnaldo Farias teve a incrível oportunidade de pedalar uma E-Bike TURBO LEVO no percurso do Prólogo do primeiro dia do Warm Up Brasil Ride em Botucatu - SP, deixando neste intrépido competidor e vorás cicloturista as melhores impressões dessa nova jóia do universo das bicicletas de alta qualidade.

"Pra começo de conversa, as várias versões dessa E-Bike já vem com componentes de uso competitivo com quadro "hardtail" ou "full suspension", de alumínio ou fibra de carbono, ou seja, bicicletas Top de linha, que significa bom custo benefício para durar muitas décadas, no que pese os preços não serem os mais populares, mas qualidade não se discute, não é mesmo." inicia o Professor Arnaldo.

"Quando parti com a bike da arena central do Brasil Ride no centro de Botucatu para me dirigir ao Ginásio de Esportes, no asfalto mesmo já senti grande diferença no modo de pilotar a Levo em relação a qualquer bicicleta, pois a pedal assistido por motor de propulsão elétrica, fez com que o subidão mais parecese uma linha plana, pois não há que se empregar quase nenhuma força, além da facilidade da pilotagem.

Dada a largada, nas trilhas e single tracks, não imprtava o grau de dificuldade, a Turbo Levo simplesmente passa por cima de qualquer obstáculo, seja, ´pedras, raizes, erosões, subidas ingrimes em qualquer tipo de terreno mesmo. Interessante, que não é mais o esforço das pernas que determinam o pedal e sim os braços e a força do abdomem, levando o piloto a uma condução rápida e divertida, ignorando qualquer dificuldade sem maiores consequências.

Enfim, embora o investimento numa E-Bike desse porte não seja barato, entendo que o custo-benefício vale muito a pena, pois com o "pedal assistido" ela consegue ultrapassar qualquer tipo de obstáculo sem precisar por o pé do chão ou por a língua de fora. 

Em cicloviagens então, é uma maravilha, dá tempo de ver todas as atrações turísticas do lugar e ainda cumprir a quilometragem planejada por mais alta que ela seja." - concluir o Professor Arnaldo Farias, editor chefe da "|Nóis na Fita A TV".


segunda-feira, 28 de maio de 2018

Mestre e discípula triunfam na Road Brasil Ride em Pardinho

Neste conturbado domingo em todo país, devido à greve dos caminhoneiros, refletindo na falta generalizada de combustível, a embaixadora da Specialized e diretora da Ciclofemini - Escola de pilotagem de bicicletas, a Mestre Claudia Franco, consagrou-se uma vez mais, como Campeã e sua discípula e aluna, Solange Oliveira, arrebatou a terceira colocação, cada uma em sua categoria, na edição 2018 da Road Brasil Ride em Pardinho - SP, numa prova clara de que as mulheres unidas são cada vez mais fortes, isso no modo de ver do Professor Arnaldo, editor chefe da "Nóis na Fita A TV", que também participou da premiada competição.

Claudia Franco - A Mestre
Assim, pela Equipe CICLOFEMINI SPECIALIZED THULE, a Mestre Claudia de Souza Franco,  criadora e detentora de uma metodologia de ensino exclusiva e inovadora para o uso da bicicleta com proficiência desde 2010 e também embaixadora da prestigiada marca de bikes Specialized, vem se destacando como  uma das melhores atletas do país na sua faixa etária, demonstrando estar no ápice de sua forma física, venceu magistralmente na categoria 55 - 59 anos, com o espetacular tempo de 3 horas cravados.

Solange Oliveira - A discípula
Já a jovem discípula Solange Oliveira, representando a Equipe MALHA ROSA CC/ BRANCA ESPORTES, devidamente orientada pela nossa querida Claudia Franco, conquistou a terceira colocação como bom tempo de três horas e quarenta e um minutos, se dizendo surpresa com o pódio, sobre o olhar emocionado de sua mestre no momento da entrega do merecido trófeu na categoria 35 - 39 anos.

As duas feras aplaudiram também as boas colocações dos amigos Claudio  Almeida e Rodrigo Maduro, bem como, festejaram a chegada antes do tempo de corte do Professor Arnaldo Farias na Categoria 60 - 64 anos, que merece consideração à parte, no final deste artigo.


Professor Arnaldo Farias: de peba a forte dos fracos
Como é sabido pelos que conhecem a mais de 14 anos nas competições de ciclismo, das 525 provas que este veterano participou, não chega a 10 o número de competições de ciclismo de estrada por esse intrépido veterano e blogueiro, mas ele não resistiu ao convite dos amigos e foi pela segunda vez à Road Brasil Ride, já que esteve presente na primeira edição anos atrás.

"Bem, na verdade nunca me considerei um atleta, no máximo pela dedicação aos eventos de Mountain Bike, um competidor voraz, que desde 2004 até 2016 não perdia uma prova sequer do calendário nacional.

Portanto, para mim foi um grande êxito conseguir chegar inteiro e dentro do tempo limite da Road Brasil Ride, sem correr nenhum risco à minha integridade física ou atrapalhar os demais competidores, sentindo-me muito feliz por figurar entre os dez competidores da categoria sexagenaria", conclui o Professor Arnaldo.


Como neste próxima semana acontece do Festival Brasil Ride em Botucatu o Professor Arnaldo vai participar da "Levo Match Racing", uma competição com o uso de E-bikes fornecida pela Specialized dentro dos eventos do Brasil Ride Warm Up na quinta, dia 31 de maio e WARM UP SPORT no dia 2 de junho, além de fazer a cobertura de mídia de tudo que rolar por lá para a "Nóis na FITA A TV".




domingo, 20 de maio de 2018

Ciclo Aventura Pai & Filho entre Salvador e Maceió não tem preço!




O Professor Arnaldo Farias, editor do Portal "Nóis na Fita A TV", juntamente com um dos seus queridos filhos, George André, percorreram de bicicleta um percurso de 550 km. em 6 dias de pedal, quase tudo pela faixa litorânea entre Salvador (Bahia) a Maceió (Alagoas), que ainda contou com as ilustres companhias dos amigos baianos, Piruca e Rêne, no primeiro e segundo dia, recheados de muitas risadas e gozações, fundo de cena para os dias ensolarados daquela inesquecível semana.

"Essas amizades começaram há 2 anos, quando participei num dos "Encontros de Cicloturismo", na ocasião pelo percurso ciclo turístico do "Vale Europeu" em Santa Catarina" e entre eles o nosso querido atleta paraolímpico, Fabio Rigueira, que por estar focado nos treinamentos para o Ironman, não pôde nos acompanhar na ciclo aventura. Não se pode deixar de registrar a falta do amigo Marcelo Bruder, que por questões de trabalho, também não pôde nos acompanhar" - inicia a conversa o Professor Arnaldo.



DAY 1: SALVADOR (Camaçari) a Baixio = 145 KM


"Assim, depois do Piruca ter nos levado aos pontos turísticos de Salvador, já que o George não conhecia a capital baiana, pouco antes do amanhecer, partimos, ora via acostamento da rodovia bem próximo a orla marítima, ora pela praia, como se deu entre as localidades de Imbassaí e Costa do Sauípe, sempre de olho na maré,
que quando está baixando permite que pedalássemos pela faixa de areia, com vento contra, no sentido a Aracajú no estado do Sergipe.

Para os que não sabem, pedalar na areia faz com que a velocidade média caia bastante, mas se o vento for a favor é bem divertido. Agora, com vento contra, como aconteceu em algumas ocasiões até Maceió, a história muda de figura e pedalar a 12km/h já está de bom tamanho.


Como o nosso amigo baiano Renê achava que era um Rally, terminamos o pedal em Baixio, depois de haver pedalado por meros 145 km., distância não compatível com uma ciclo viagem, mas como todos estavam razoavelmente bem preparados e com muita experiência nesse tipo de pedal, nada além do cansaço, belas paisagens e muita gozação encerrou a participação do nosso grande amigo Luciano, o Piruca, como é carinhosamente conhecido, pois tinha que trabalhar no dia seguinte.


DAY 2: Baixio a Siribinha = 56 KM



Neste segundo dia de ciclo aventura, ainda com o Renê nos guiando, pedalamos por uns 15 km iniciais pela rodovia, já que a maré estava alta e não permitia que pedalássemos pela areia, que se deu da Barra do Itariri a Siribinha, bordeando também ao lado esquerdo pelo rio Itapicuru, que faz alargando suas margens na medida que se aproxima de sua foz.


Para a nossa sorte, terminamos esse curtíssimo dia de pedal, isso na opinião do galático Renê, nos hospedando na Pousada Iemanjá, hospedagem "pé na areia", com direito a soneca nas redes em frente ao belo mar e temperatura de verão, apesar de ainda estarmos no outono, além de nos fartarmos de pratos a base de pescados em um pequeno restaurante de Siribinha, um vilarejo bem pitoresco.


DAY 3: Siribinha (Bahia) a Aracajú (Sergipe) = 109 Km


Nesta manhã do terceiro dia dessa ciclo aventura, a primeira ação foi cruzar de barco o rio Itapirucu, para então, já sem a presença do Renê, que voltaria a Salvador, pedalarmos por uma graciosa estradinha de terra pelos primeiros 10 km. até o vilarejo praiano de Costa Azul, alí o último ponto de comércio até a localidade de "Mangue Seco", divisa com o Estado de Sergipe, local muito requisitado para novelas e filmes por suas belezas naturais.


Aí como dizia toda hora o meu filho George - praia e coqueiros, praia e coqueiros, - porém sem carros, jipes ou mesmo pessoas, lembrando que isso só foi possível graças à maré baixa.

O grande barato era encontrar depois de dezenas de quilômetros pedalados algum comércio, sempre era acompanhado de serviço de redes, um luxo em meio do paraíso baiano.

Já ao anoitecer, enfim, pudemos concluir nosso pedal na bela Aracaju, uma cidade praiana com ares de interior, sem aquele loucura das grandes capitais brasileiras.



DAY 3: Aracajú (Sergipe)  a Piaçabuçu (Alagoas) = 112 Km


Depois de cruzar a área central de Aracaju, em Barra dos Coqueiros, nos deliciamos por mais de 80 km sempre pela praia, atravessando toda a Reserva Biológica de Santa Isabel até o vilarejo de Carapitanga, isso com a devida permissão da maré baixa, sendo que os últimos 10 Km foram bem duros, pois o vento virou de lado e tornou esse trecho um suplício, recompensado pela natureza exuberante.

Dali em diante foram outras tantas dezenas de quilômetros pedalados no fim da tarde até o anoitecer, não sem antes ter quer cruzar a foz do Rio São Francisco, para finalmente adentrar o Estado de Alagoas, terminando o nosso pedal na pequena e aprazível cidadezinha de Piaçabuçu, com direito a mais um jantar regado a carne de sol e cerveja.


DAY 4: Piaçabuçu (AL) a Barra de São Miguel (AL) = 111 Km

Neste penúltimo dia da nossa Ciclo Aventura, depois de um belo café da manhã às margens da foz do majestoso Rio São Francisco , novamente depois de alguns quilômetros pelo acostamento da rodovia, fomos pedalando pela praia aproveitando a maré baixa até às proximidade de Barreiras, voltando então à margens da rodovia.
Por mais que o vento contra e a areia limite a velocidade de deslocamento, pedalar por horas e horas sem ouvir ruídos e finas de carros ou caminhões, isso sem contar que nessa época sem férias escolares ou feriados prolongados, a paz invade nossos corações de ciclistas aventureiros e a curtição se instala, dando até aquela preguiça baiana bem ao estilo do nosso amigo Piruca.

Como o percurso era longo, chegamos novamente ao anoitecer ao turística localidade de Barra de São Miguel, sem poder curtir uma boa praia regada a carne de sol e cerveja, uma boa razão para qualquer cicloviagem ou ciclo aventura, não é mesmo?


DAY 5: Barra de São Miguel (AL) a Maceió (AL) = 34 Km

Finalmente e lamentavelmente o final da Ciclo Aventura pelas praias do nordeste brasileiro se apresentava com míseros 34 quilômetros, que para piorar as coisas, por uma lambança da minha parte, longe da orla marítima.
No entanto, como os ciclistas são pessoas de sorte, coisas boas no aguardavam, que vale aqui registrar:

Em Maceió teríamos que ir procura de uma Bike Shop que nos fornecesse duas caixas de papelão para acondicionar as nossas amadas bikes, pois voltaríamos de avião a São Paulo dois dias depois. 

Então, eis que alcançamos a ciclista Patricia Maria, a Patty (que sorridente aparece ao fundo na foto ao lado) e suas três amigas já próximo ao centro de Maceió.

Papo vai, papo vem, elas acabaram nos levando a um bairro da capital alagoana onde havia varias lojas onde conseguimos as tais caixas e no dia seguinte ainda fomos convidados a comer carne do sol e charque no típico restaurante "Maria Furadinha", nome esse por causa das 17 facadas que a dona do estabelecimento levou e ainda assim, sobreviveu.

Depois do belo almoço, fomos à casa de um dos membros do grupo e depois de muitas cervejas com vários petiscos, acabei por ser convidado a fazer parte do grupo "Bikers Tour" para a cicloviagem em janeiro de 2018, pela Rota do Imperador, quase 1.000 quilômetros em poucos dias, ou seja, os nordestino são brutos mesmo!" - termina o relato o Professor Arnaldo Farias, já com saudades dos novos e dos atuais amigos que só o ciclismo sabe fazer. Fato!!!

segunda-feira, 19 de março de 2018

Pedal nota 1.000 em Joanópolis no 93º Circuito Brasileiro de Cicloturismo

Um belo dia de sol e calor na Cachoeira do Pretos, a poucos quilômetros da pacata cidade de Joanópolis, o 93º Circuito Brasileiro de Cicloturismo, com a presença de centenas de ciclistas, cuja felicidade é pedalar sem estresse, mas não abrindo mão de uma infraestrutura de primeira, sob o comando do nosso camarada Clauber Santos.




"Para entender o sucesso desses pedais que já chegara a uma centena de edições, há que se destacar o esmero com que é realizado cada evento, pois uma série de destaques deve ser destacado;

Estrutura do evento:
–  Medalha de participação
– 1 ponto de lanche e suco durante o percurso;
– mesa de frutas na concentração;
– 3 pontos de hidratação no percurso com água;
– Apoio mecânico de bike, para consertos simples durante o percurso;
– Caminhão de apoio, sempre atrás do último participante;
Kit do evento:
– Medalha
– Revista Bike;
– Adesivo;
– Pulseira de identificação;
– Camiseta (São opcionais e cobradas com valor adicional na inscrição, consulte valores e datas)

Seguro contra acidentes
O evento tem cobertura pela Porto Seguro, para acidentes da modalidade cicloturismo.

Agora,se liga no bondoso Regulamento:

segunda-feira, 5 de março de 2018

Impecável o 3º Desafio MTB Maratona XCM Açaí Mil&Ross em Rafard


Aconteceu sob intenso calor neste último domingo, 4 de março, o impecável 3º  Desafio MTB Maratona XCM Açaí Mil&Ross em Rafard no interior de Sã Paulo, magistralmente organizado pela Kalangas Bikers com a participação do Professor Arnaldo Farias e a cobertura de mídia da "Nóis na Fita A TV", que teve animada presença de mais de 300 atletas em diversas categoria Pró e Sport.


"Já em sua terceira temporada, a competição foi organizada pensando na comodidade, segurança e diversão de competidores, que conhecem bem a competencia do nosso camarada José Carlos do Açaí Mil&Ross, que não poupou esforços para oferecer uma estrutura que deixou a todos satisfeitos, apesar da disputa acirrada por cada patamar do pódio.


Em pouco mais de duas horas todos os atletas inscritos já haviam concluído o percurso de quase 40 Km debaixo de um sol de rachar o coco. No entanto, a pontualidade da largada, percurso bem sinalizado, caminhão vassoura e serviço de ambulância, deu total tranquilidade para que todos pudessem se concentrar só na competição em si, sendo que após a chegada a premiação já ia acontecendo, com direito a premiação em dinheiro para os mais velozes e brindes para de montão.

Assim, fique ligado, porque no próximo ano na mesma cidade e com a mesma competência mais uma edição do Desafio MTB Maratona XCM Açaí Mil&Ross vai acontecer.