sábado, 14 de novembro de 2009

CAMINHO DA FÉ (7a Edição 21/11 - 16:50 p.m) - A saga, de agora, seis amigos do grupo Pedal Leve Team

7a edição - 16:50 p.m (21-11-09)
Prof. Arnaldo, bom dia !

O sexto dia (19/11/09), Paraisópolis/Campos do Jordão, 61 km, foi o mais difícil. Eram tantos morros que no fim já nem assustavam. Frente aos paredões, na dúvida entre choro e riso, uma boa gargalhada era a melhor opção, o suor escorria e o empurra continuava. No início da escalada havia uma pedra enorme, altíssima que quase não possível ver o ponto mais alto, alguns kms depois olhamo-a de cima para baixo e a subida continuava. De repente um barulho de motor e, para nossa surpresa, era um helicóptero que estava subindo e passou por nós. E as vacas ? Elas fechavam a trilha e olhavam para nós. Por sorte não gostavam de barulho de freios e voltavam para os pastos. Subimos tanto que para chegar em Campos de Jordão, descemos bastante até o Refúgio dos Peregrinos, onde o simpatíssimo casal Edison e Marilda aguardavam-nos. Achava São Roque e os circuito das provas da Pedal Leve muito acidentados e íngremes. Hoje, depois do Caminho da Fé, vejo-os com trechos monótonos de uma planície, rsrsrsrsr ...
Abração,

Gilmar.




6a Edição - 23:50 - 18/11/09
Nesta quinta-feita o grupo saiu de Estiva com destino a Paraísopolis e o único imprevisto foi uma corrente quebrada, felizmente. A seguir, pela primeira vez a Redação do Blog do Professor Arnaldo, recebe um depoimento que é transcrito na íntegra:

Prof. Arnaldo,

Definir o Caminho da Fé é praticamente impossível. Ele supera em tudo. A dificuldade é maior que a esperada, a simpatia do pessoal das pousadas é muito além do que esperamos, a estrutura é fenomenal, os desafios são fabulosos. Tudo isso junto cria nos ciclistas uma enorme vontade de vencer as adversidades, derrotá-lo e continuar pedalando. A amizade que vai se formando é outro ponto que merece destaque. Encontramo-nos com os meninos de Itobi-SP na Pousada da Dona Cidinha apenas de passagem, saíamos e eles chegavam. Depois nos encontramos em vários pontos até que nos unimos e seguimos juntos. Estamos em Campos de Jordão e a saudade do Caminho da Fé já se faz presente ... Ano que vem tem mais ...

Abração,

Gilmar.


5a Ediçao
Ontem, terça-feira o grupo partiu de Ouro Fino e conforme planejado chegaram a Estiva. De acordo com declarações do Gilmar Duarte da Pedal Leve Team, Relações Públicas do novo grupo, os únicos incidentes foram três pneus furados e muita conversa jogada fora.

A maior reclamação foi a sequência interminável de subidas e descidas, sendo que em muitas o maldito "empurra bike" foi a atitude mais frequente.

Hoje, quarta-feira, eles pretendem chegar até Paraisópolis, apesar das recomendações do Professor Arnaldo, que aconselha pedalarem um pouco mais e chegar ao Distrito de Luminosa, pois ali começa, segundo a Adriana Nascimento, a famosa subida do "Quebra Perna", que receberá informe complementar em breve.

4a Edição

Ontem os dois companheiros, Gilmar e Amauri, da Pedal Leve Team, com os quatro novos amigos provenientes da cidade de Itobi, que fica a poucos quilômetros de Casa Grande, partiram do Andradas e chegaram a Ouro Fino, com 4 horas de pedalada, sem contar as inúmeras paradas, com tempo até para um amistoso jogo de sinuca em Barra.
Neste dia o Caminho da Fé cobrou o seu segundo tributo: quebrou o pedevela da bike do Gilmar, que usou um só pedal para chegar até Barra e em oficina mecânica consegui um parafuso para fazer um quebra-galho na magrela.

O Caminho exige, como se vê no primeiro erro cometido pelo grupo, captada na foto em frente uma Igreja em Tambaú, que se reduzam ao mínimo os pertences a ser levado, pois a cada gramo, um preço em quilo será cobrado do biker durante o percurso. Outra, só dá para encarar essa missão, com uma bike totalmente revisada, e mais que isso, os componentes essenciais devem ser novos, por causa do percurso duro e das intermináveis subidas.
Em Ouro Fino, o sexteto amigo, era todo sorriso e camaradagem, um dos efeitos maravilhosos desse tipo de peregrinação ciclística. Um dos encantos deste tipo de ciclo viagem é o encontro casual de pessoas que amam pedalar, tem espírito aventureiro e adoram faze novas amizades, algo elementar nesta situação.

Nesta terça-feira o grupo parte de Ouro Fino com a proposta de chegar a Estiva, num percurso de uns 67 km, segundo o Gilmar.

Em fim, muitas novas amizades e surpresas aguardam a turma, que teve a oportunidade de encontrar, conversar e se encantar com as histórias de tantos outros peregrinos que fazem o caminho a pé.

IMPORTANTE : Na 3a. Edição incluida seleção de fotos!



2a EDIÇÃO (15/11/09)
O Caminho da Fé cobra seu primeiro tributo, ou seja, sentindo a dureza do percurso, o ciclisita Adil Filoso, inteligentemente, preferiu desistir de concinuar a peregrinação ciclística até Aparecida do Norte e em Àguas da Prata decide retornar ao convívio de seus familiares.

Apesar da chuva do domingo, os dois remanescentes ciclistas chegaram até a cidade de Andradas. Segundo o Gilmar Duarte, seu companheiro, após vomitar durante o percurso, sentiu-se melhor com a chuvarada, razão pela qual ele pretende comprar um balde para exarcar de água o Amauri, caso este venha a sentir-se mal de novo.

Em Andradas, na mesma pousada onde estão hospedados, chegaram mais 04 ciclistas peregrinos, que pelas conversas, devem seguir juntos o Caminho da Fé nesta segunda-feira.

Como informe final, observem na única foto enviada pelo grupo, que o execesso de bagagem era visível, atitude condenada pelo Professsor, pois para essa peregrinação ciclística, até cabo longo de escova de dente pesa, e muito.

1a EDIÇÃO (14/11/09)
Com relatórios diários (edições), o Blog do Professor Arnaldo está acompanhando a peregrinação ciclística do seu grande amigo Gilmar Duarte, 55 anos, Adil Filoso com 38 e Amauri Fernandez de 37.

Os três amigos sairam nesta manhã de Tambaú, um dos pontos de inicio do Caminho da Fé, já com relativo atraso. Neste momento 16:00 eles terminam de "escalar" a Serra da Fartura" e sentiram na pele e nos ossos, a primeira parte de um dos grandes desafios que um biker tem que enfrentar.

Segundo o Gilmar o sol forte foi a maior dificuldade partir da subida da Serra Fartura, concluindo que está encantada com a hospitalidade oferecida na Pousada da Dona Cidinha, entre Vargem Grande e São Roque da Fartura. Os amigos pedalaram 70 km em 4h. 30m sem contar os intervalos para tomar aquele fôlego.



Seleção de fotos da galera da Pedal Leve Team