segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

1º DIA = Timbó a Pomerode – Circuito do Vale Europeu – SC


Não sei se você está acostumado, mas em toda viagem de aventura, em que as pessoas não se conhecem, leva-se pelo menos o primeiro dia para afinar as orientações. Então, o combinado para sair às 07 horas não se cumpriu. A “bandeirada de largada se deu passado às nove da manhã, em frente da sede do Vale das Águas (Fundos do Restaurante Thapyoca), local em que se retira a credencial de Biker-Peregrino.

Passado os primeiros desencontros, os oito pedalantes conseguiram se agrupar de verdade a três quilômetros do ponto de partida.

Finalmente, depois de uns 8 km “terra a vista”; a alegria dos bikers estava feita. Neste ponto se definiu dos dois grupos: Vitor, Paulo e Professor Arnaldo, Categoria Pró. Os casais Iramaia e Osvaldo, Steven e Patrícia, Categoria Sport. Explico, os primeiros estavam a fim de “socar a bota” e os da Categoria Sport, curtir o visual, tirar fotos e tomar banho de rio, coisa que fizeram na primeira oportunidade.

Atenção, subida!
No km 29 uma subida curta de 2 km, que confesso foi de doer, ainda bem que demos um bom descanso antes.

Uma das coisas mais relevantes deste primeiro dia, foi o cenário deslumbrante: rios, cachoeiras, belas casas de veraneio ao estilo europeu, tudo para "encher os olhos" de qualquer ciclo-turista.

O Rei Sol “fritando os miolos”
Por incrível que pareça, eu mesmo, acostumado a grandes competições de maratona (coisa de 100 km em média), chequei a Pomerode “pelas tabelas”, tamanho o cansaço, tive tomar, rapidinho uma “Cueca-Cuela” de 600 ml bem geladinha.

A família do cicloturista Arnaldo. Do outro Arnaldo:
Voltando um pouco no tempo, antes da largada, conheci a família do Arnaldo, é isso mesmo, do Arnaldo de Brasília, um grande ciclista, que veio com a esposa, Sra. Sandra e seus três filhos: Hugo, Tales e Amanda, munidos de alforjes, dispostos a fazer o circuito em 7 dias, sem qualquer tipo de apoio. Isso que é atitude.

Então, veja o depoimento dado pela família do meu “chará”, muito bacana de assistir:

A família do cicloturista Arnaldo. Do outro Arnaldo:
Voltando um pouco no tempo, antes da largada, conheci a família do Arnaldo, é isso mesmo, do Arnaldo de Brasília, um grande ciclista, que veio com a esposa, Sra. Sandra e seus três filhos: Hugo, Tales e Amanda, munidos de alforjes, dispostos a fazer o circuito em 7 dias, sem qualquer tipo de apoio. Isso que é atitude.
Então, veja o depoimento dado pela família do meu “chará”, muito bacana de assistir:



Em tempo: vale a pena hospedar-se na Pousada Blauberg, capitaneada pelo Neto, um amante das bikes e por conseguinte, amigos dos bikers,que além de apresentar acomodações de primeira, dá um atendimento exemplar.