segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

PROFISSIONAL ATLETA OU ATLETA PROFISSIONAL


Desde outubro do ano passado meus leitores sabem que o Professor Helio Souza da HE Treinamento Esportivo vem orientando meus treinamentos indoor (academia) e outdoor (trilhas - ôba) e como consequencia, houve uma sensível melhora em meus resultados.

Então, no momento presente o professor Helio publicou um artigo com um tema acima, que retrata perfeitamente meu caso: um profissonal atleta, frente ás necessidades de um atleta profissional.

Portanto, nada melhor do que apreciar o elucidativo e precioso texto, sem mais delongas, aproveitando para verificar em que classe de ciclista você se enquadra e quais cuidados a serem tomados:

"Existe basicamente duas “classes” de esportistas, os profissionais atletas e os atletas profissionais cada qual com características particulares e, para a surpresa de muitos, com algumas semelhanças. O atleta profissional vive do esporte, sendo esta a sua fonte de renda, a sua profissão, o seu dia-a-dia ao contrário do profissional atleta.
Estão corretos aqueles que pensam que ser atleta profissional é sinônimo de muita dedicação e disciplina, mas não pensem que é isso é exclusividade deste grupo. Os profissionais atletas também precisam destas mesmas características em seu dia-a-dia de trabalho e até mesmo durante o treinamento esportivo. O diferencial, neste caso, são os objetivos e as metas a serem alcançadas. Um atleta profissional pode ter como objetivo se classificar para o campeonato mundial da modalidade, uma vitória e, sobretudo o desempenho esportivo. Já o profissional atleta pode ter como objetivo melhorar a qualidade de vida, a participação em um evento esportivo, conhecer novos amigos ou simplesmente se divertir.

Freqüentemente os atletas profissionais se queixam de dores, do cansaço e da sobrecarga de treinos e/ou competições. Já o profissional atleta, de acordo com os objetivos e metas, pode optar e não se submeter a este tipo de estresse. Atualmente o grande número de competições, a cobrança dos patrocinadores, a importância dos eventos e a maior competitividade aumentam a responsabilidade e o estresse sob os atletas profissionais, exigindo que eles sejam cada vez mais "super homens".

As duas “classes” de esportistas devem se submeter, periodicamente, a exames clínicos e físicos, buscar acompanhamento profissional, saber quais as suas metas e os seus objetivos reais e, além disso, terem muito prazer e gostar do que fazem, caso contrário o sucesso não será alcançado.
A parte triste desta história é que há muitos casos de inversão de funções. Muitos atletas profissionais se comportando como profissionais atletas e vice-versa. Se um atleta amador treinar como um profissional vai se lesionar, sobrecarregar-se e conseqüentemente entrar em fadiga e o atleta profissional que agir como um amador se tornará um ex-atleta profissional.

Os recordes nacionais, olímpicos e mundiais; as grandes vitórias em eventos internacionais e de grande importância para a modalidade e o conseqüente reconhecimento por estes feitos são aspectos exclusivos dos atletas profissionais, assim como a pratica esportiva pura e simplesmente por prazer, a ausência ou a pouca cobrança pelas vitórias, o menor tempo e dedicação ao esporte são algumas particularidades dos profissionais atletas.
Todas as duas classes possuem prós e contras, sendo que o mais importante é saber realmente onde você se enquadra, caso contrário, não terá sucesso.

Fonte: www.professorheliosouza.com.br