sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Começaram as disputas do Mundial de Mountain Bike

Provas terão transmissão ao vivo pela internet


As disputas do Campeonato Mundial de Mountain Bike Máster já começaram nessa sexta-feira às 8h30 com as categorias femininas de cross country (divididas de acordo com as faixas etárias), que largaram com intervalos de 30 segundos entre as categorias.

O evento terá transmissão e narração ao vivo o dia todo, até o domingo, pela internet com imagens da chegada do do cross country e do downhill no link: www.timbonet.com.br/webtv/mundial

Em seguida, às 10h30, largarão os homens das categorias 55-59 anos e os atletas com mais de 60 anos

28 PAÍSES
Estão inscritos 550 atletas vindos de 28 países que vão competir nas modalidades cross country olímpico (XCO) e downhill (DHI) em sete categorias divididas em faixas etárias dos 30 até 60 anos.

O evento terá participantes da África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Barbados, Bélgica, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Dinamarca, Equador, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, França, Grã Bretanha, Irlanda, Itália, Jamaica, México, Moçambique, Noruega, Peru, Suécia, Suíça, Uruguai e Venezuela.

O Brasil tem quase 300 atletas e a Argentina é o país estrangeiro com maior número de inscritos, com cerca de 100 ciclistas. O Chile vem em segundo com 48 inscritos e a Colômbia e a Venezuela comparecem com 13 atletas cada. A Europa, grande força do mountain bike mundial, estará presente com grandes nomes. A Itália tem 14 atletas inscritos e a França 10 atletas.

DESTAQUES DO BRASIL NO CROSS COUNTRY
Entre as brasileiras do cross country, a paulista Adriana Nascimento, dona de nove títulos brasileiros de cross country e de marathon, é uma das candidatas a conquistar uma medalha.

“O fato de o Brasil sediar um Mundial é superimportante, pois incentiva os atletas mais experientes, que são maioria hoje em dia nas provas realizadas no Brasil. Temos muitos brasileiros em condições de conquistar medalhas. Minha expectativa é muito boa. Estou afiada tecnicamente pois acabei de retornar da maratona Transrockies no Canadá, onde peguei muitas trilhas em single track e terminei como campeã na categoria Dupla Mista 80+. Em Camboriú, quero melhorar minha marca e vou lutar por medalha”, contou a atleta de 34 anos.

Entre os homens, o paulista Marcio Ravelli, atual campeão brasileiro na categoria Máster 35-39 e dono de 11 títulos nacionais, vai em busca de realizar o antigo sonho de conquistar um título mundial.

Ravelli está em Balneário Camboriú desde segunda-feira para reconhecer a pista de cross country, que tem 5.250 metros de extensão e um total de 330 metros de desnível por volta.

“A pista de cross country tem partes extremamente difíceis, com três subidas duras que fazem jus a um Campeonato Mundial. Há também partes bem técnicas no meio do percurso. Estou bem preparado para a prova e me dediquei ao máximo. Sei que terei adversários fortes vindos do exterior e também do Brasil”, contou Ravelli, que larga às 11 horas do domingo.

DESTAQUES DO BRASIL NO DOWHILL

A pista de downhill está situada na encosta do Morro da Aguada e tem 1.250 metros de extensão com um desnível de 225 metros de altura. Os treinos classificatórios serão na tarde dessa sexta-feira, das 14 às 17 horas. Todas as finais do downhill serão na tarde do sábado, a partir das 14 horas.

Na modalidade de descida de montanha, um dos destaques do Brasil é o catarinense Anderson Robl, atual campeão brasileiro na categoria 30-34 anos. Robl, de 30 anos, é de São Bento do Sul e vai lutar pelo pódio. “Meu objetivo é lutar por uma medalha. Gostei muito da pista, achei muito rápida e bem construída”, contou Robl.

Outro destaque é o paulistano Caio Salerno, que competirá na faixa etária dos 40-44 anos, categoria que tem a maior diversidade nacionalidades. Salerno é tricampeão brasileiro Máster e vai lutar por uma medalha na tarde de sábado.

“Eu já conhecia a pista de Balneário Camboriú de outras disputas em anos anteriores. Acho a descida muito completa, com partes técnicas e desafiadoras. Tem de tudo um pouco: trechos que exigem pedalada, pedras, raízes etc”, explicou Salerno, que terá pela frente adversários fortes vindos da Austrália, França, Estados Unidos, além do brasileiro Miguel Giovaninni, de Juiz de Fora (MG).

Giovaninni e Salerno estiveram presentes na primeira edição do Campeonato Brasileiro de Downhill, em 1991, disputado em Ilhabela (SP) e o mineiro levou a melhor.

“Mais que uma competição, esse evento é uma grande confraternização de amigos. É a chance de encontrar antigos amigos competidores de todo o mundo”, completou Caio Salerno.

Entre as mulheres, a paulista Patrícia Loureiro, de 30 anos, sete vezes campeã da modalidade downhill, vai em busca de seu primeiro título mundial.