quinta-feira, 21 de julho de 2011

Dodecacampeão Brasileiro busca 1º título Mundial em Balneário Camboriú

Marcio Ravelli com 12 títulos nacionais luta pelo 1º ouro no Mundial

A cidade catarinense de Balneário Camboriú recebe pelo segundo ano consecutivo o Campeonato Mundial Máster de Mountain Bike que vai reunir 350 atletas de 22 países até o próximo domingo.

O evento é fruto de investimentos do Governo do Estado de Santa Catarina por meio do Fundesporte e Fesporte, da Prefeitura da de Balneário Camboriú por meio da Fundação de Esporte e da Secretaria de Obras, e também do Parque Unipraias, local do evento.

No ano passado, o Brasil participou com quase 200 atletas e garantiu 10 medalhas, sendo duas de ouro na modalidade downhill. Uma com a paulista Patrícia Loureiro (categoria 30-39 anos) e outra com o carioca Robert Sgarbi na categoria 30-34 anos.

DODECACAMPEÃO BRASILEIRO BUSCA 1º TÍTULO MUNDIAL

Entre os quase 200 brasileiros que vão lutar por medalhas, o paulista Marcio Ravelli, que conquistou o seu 12º segundo título de campeão brasileiro na semana passada, em Caconde (SP), é uma das promessas brasileiras na conquista de medalhas e considerado uma das lendas vivas do mountain bike no Brasil. Ravelli compete no domingo contra fortes adversários europeus.

No ano passado, Ravelli garantiu o bronze na categoria 35-39 anos. Ravelli é o brasileiro melhor colocado em mundiais com uma 24ª colocação no Mundial de 1994, realizado em Vail, no Colorado, EUA.

O atleta de Itu (SP) chegou em Balneário Camboriú nessa terça-feira e já fez o reconhecimento da pista de cross country.

Mais treinado e mais descansado, segundo suas próprias palavras, Ravelli promete lutar de igual para igual pela medalha de ouro nessa edição do Mundial.

“O novo traçado da pista está mais técnico ao mesmo tempo em que exige menos esforço do atleta. Sob chuva a pista é bem mais lisa e temos que ter muito cuidado nas descidas”, observou o atleta de 39 anos que é uma lenda viva do mountain bike nacional.

“Acho essa uma oportunidade única para muitos atletas brasileiros. Não é sempre que temos a oportunidade de disputar um Mundial sem termos que nos deslocar até a Europa ou América do Norte. Gostei muito do evento no ano passado e esse ano tem tudo para ser ainda melhor”, completou Ravelli.