sábado, 7 de abril de 2012

Drámatica a vitória de Ricardo Machado no Panamericano 2012 no México

É Ricardo Machado, é ouro do Brasil, é ouro na Master C1, é o triunfo buscado, sonhado, depois de 14 anos de luta, simplesmente um brasileiro que nunca desistiu do seu sonho maior: ser Campeão Panamericano. Salve RICARDO MACHADO!


(Confira no fim do artigo a emocionante chegada de um dos mais bravos pilotos de todo o sempre)

Olá Professor Arnaldo
Dia muito feliz hoje

Confira meu relato abaixo:
Cheguei em Puebla na madrugada de domingo para segunda-feira, dia 2 de abril, de manhã cedo, após o café da manhã montei a bike e depois fui junto com o Henrique Avancini, Roberta Stopa, Daniel Carneiro e Victor Tabosa, no circuito para fazer o primeiro treino de reconhecimento. Treinei todos os dias que antecederam a prova.









Nesta sexta-feira santa, dia 6 de abril de 2012, o dia amanheceu um pouco frio aqui em Puebla, no México, uma dorzinha de garganta parecia dar um mau presentimento, as pernas, no entanto, amanheceram zeradas, sem nenhuma dor e bem soltas. Na rotina de uma manhã, em dia de corrida, o café da manhã foi quieto, concentrado, as mão estavam trêmulas, sinal de que a adrenalina já estava espalhada no corpo inteiro.

No momento mais tenso do dia, que foi antes da largada, percorri mentalmente todo o circuito, que tem 6.300 metros de extensão e pensei, tenho que largar na frente e chegar primeiro na descida que é cheia de pedras.

Quando baixou a bandeira, foi aquela explosão de energia, consegui largar na frente e desci as pedras na frente, logo na primeira subida, um mexicano me passou, porém busquei forças e reassumi a liderança da prova, concluí a primeira volta isolado, porém na segunda e última volta, senti os efeitos da altitude de 2.300 metros acima do nível do mar, começei a sentir uma forte dor nos pulmões e uma pressão muito forte na cabeça, as pernas ficaram bambas, comecei a perder o foco na trilha, no final da última subida, um colombiano me passou pedalando num giro forte e abriu distância, tentei persegui-lo, mas nesse momento, ele estava mais forte, logo que começaram as descidas...

Soltei o freio, literalmente, mesmo entre pedras e erosões, encostei nele numa trilha dentro da mata, depois, só tinha uma subida de uns oitocentos metros até a chegada, nesse momento respirei forte e pensei, agora é a hora de atacar, travei a suspensão e o ultrapassei num ritmo muito forte, para não deixar dúvidas, me superei ao máximo, busquei forças que não imaginava que tinha, não olhei para traz, apenas tentava ouvir o barulho dos pneus da sua bike, quando eu vi a linha de chegada a minha frente, continuei pedalando enlouquecidamente e cruzei a linha de chegada em 1º lugar. Me tornei Campeão Pan-Americano, título que perseguia a 14 anos.

Em vídeo, emocionante a chegada de Ricardo Machado, como campeão da Master C1, cuja cena é de arrepiar!