quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O bicho pegou de vez na BRASIL RIDE na terceira etapa da Ultramaratona de Mountain Bike com o cross country olímpico


TERCEIRO DIA DA BRASIL RIDE FOMENTA O DESENVOLVIMENTO DO ESPORTE COM CORRIDA NO FORMATO OLÍMPICO
Pura ação: 35 quilômetros de muita força, suor e lágrimas, na terceira etapa da Ultramaratona de Mountain Bike com o cross country olímpico em Rio de Contas, com a vitória individual de Henrique Avancini, promessa brasileira para as Olimpíadas de 2016

Rio de Contas recebeu nesta terça-feira (22) uma das etapas com cenário mais clássico da Brasil Ride, com os atletas recebendo benção do padre da Diocese de Livramento da Conquista, na frente da cruz da Capela que fica sobre uma colina, palco central de uma escalada de um lado e um downhill super técnico de outro.

Foram 5 voltas de 7km cada, e desde a primeira volta se destacaram os ciclistas Henrique Avancini, Kohei Yamamoto, Roel Paulissen, Christoph Sauser e Hugo Prado Neto, seguidos de perto pelos portugueses Luis Leão Pinto e Tiago Ferreira, abrindo certa diferença dos demais atletas profissionais, mas colocando facilmente uma volta em amadores que deliravam ao compartilhar a mesma trilha com seus ídolos.
“Acredito que é um ótimo formato, para nós proporciona muita ação. Esta ideia de fazer a média de tempo entre os atletas é muito interessante, assim todos podem ir na própria velocidade e criar táticas e para mim foi perfeito. E para os amadores foi ótimo, pois percebi que muito deles ficaram de lado e puderam acompanhar a corrida”, disse Christoph Sauser, atual campeão mundial de MTB Maratona (XCM), que com a média de tempo, sua equipe conquistou a vitória na categoria Open com o tempo de 1 hora, 30 minutis e 51 segundos.
A cada volta os quatro primeiros se distanciavam mais dos demais, marcando um ao outro e até se ajudando nas partes mais planas da prova. O nível técnico desta etapa é o que diferenciou os atletas, o público que acompanhava pessoalmente em diversos trechos se surpreendeu com a capacidade dos ciclistas atacarem as descidas cheias de pedras e areia, num terreno cheio de buracos de erosão como se estivessem pedalando no liso, era fácil ouvir que parecia que alguns profissionais estavam brincando, de tão harmonioso o movimento do atleta em integração com a bicicleta.
Foi até difícil conversar com o Henrique Avancini, que enquanto trocava de camisa para dar entrevistas recebia comprimentos de todos os seus colegas brasileiros que terminavam a prova, muitos felizes pela vitória do brasileiro, que faz dupla com o também brasileiro Sherman Paiva (Caloi) e é a promessa do Brasil nas Olimpíadas de 2016.
“Vencer essa etapa da Brasil Ride, que é aprincipal prova internacional do país em termos de nível de participação internacional. Então acho que fiz as honras da casa, fiquei muito feliz realmente. Para mim é uma grande realização de vencer essa prova, talvez é uma das vitórias mais importantes que já conquistei no Brasil”, comentou Henrique Avancini, que conquistou a vitória individual, mas sua equipe terminou com o tempo de 1 hora, 32 minutos e 17 segundos. Na segunda colocação, ficou a equipe portuguese Esteve, formada por Luís Leão Pinto e Tiago Ferreira, que usaram uma estratégia de pedalar juntos e assegurar a camisa amarela de líder.
“O evento Brasil Ride é nossa vitrine. A Brasil Ride é nosso celeiro de desenvolvimento esportivo realmente. O evento é conhecido na Europa e outros países , e tem trazido cada vez mais atletas da elite mundial e acredito que essa combinação de alto nível técnico dessa prova, com o tanto que o Brasil e a Chapada Diamantina são especiais, é um formato que só tende a crescer, pois é o que a gente tem de melhor para preparar o atletas e dar a oportunidade dos ciclsitas brasileiros competir com os atletas da elite internacional e com isso elevar o nível em preparação para a Olimpíada”, comentou Andréa Marcelini, competidora na Brasil Ride e coordenadora na UCI (União Internacional Ciclística).
Outro brasileiro que mereceu destaque hoje foi Marcio May, competindo na Categoria Master e representante do país em duas Olimpíadas em provas de estrava, mostrou seus treinos de mountain bike surtiram efeito, inclusive se mantendo ‘a frente de seu parceiro, Marcio Ravelli (Caloi 90’s), “tive um pouco de dificuldade nas descidas técnicas, chegando a descer da bicicleta para não arriscar, evitando me machucar”, disse May que terminou em terceiro lugar na etapa, atrás de Bart Brentjens/Abraão Azevedo, que venceram a etapa, mas a diferença de tempo não foi o suficiente para tirar a camisa do português Vitor Gamito e o brasileiro Paulo Freitas.
Já na Categoria Grand Master (acima de 50 anos), o Brasil lidera com os Guarinis Heleno Caetano Borges e Dorivaldo Corrêa de Abreu, “é a nossa terceira participação no Brasil Ride, fizemos uma preparação muito boa, sabíamos que a prova de hoje era dura apesar de curta e técnica, qualquer vacilo pode levar pro chão, então administramos nossos esforços, ainda teremos mais 4 dias de provas, queremos chegar inteiro até o fim, então cuidamos bem da alimentação e do sistema imunológico para não ficarmos doentes”, ressalta Heleno, que completou a prova com a média de tempo de 1 hora, 38 minutos e 15 segundos.
Na Categoria Feminina, confirmando novamente o favoritismo, Rebecca Rusch e Selene Yeager foram a primeira dupla a cruzar a linha de chegada, “foi muito legal pedalarmos juntas nesse cenário, odownhill da Igreja é muito técnica, num primeiro momento estava meio perdida nela, mas depois acertei a linha e fui que fui; divertido passar pela cidade algumas vezes, com o público torcendo, sentir essa energia enquanto pedalamos”, declarou Selene.
A italiana Annabella Stroparo, veterana no mountain bike e cyclocross mundial, finalmente teve seu dia de sorte hoje, como ela própria disse, vencendo na Categoria Mista. Ano passado ela sofreu uma queda nessa etapa, e agora conseguiu superar o trauma, estava muito feliz com o resultado, cruzando a linha de chegada juntamente com seu parceiro Piero Pelegrini, vencendo a etapa. “Hoje tive que enfrentar meus medos, tinha que correr, respirei fundo fui lá e corri! Sonhei muitas vezes com esse momento, estou muito feliz, estou muito feliz pelo meu parceiro, que foi muito bem hoje!”, reduzindo a diferença de tempo para pouco mais de 6 minutos para os líderes Mateus Ferraz e Ivonne Kraft.
Amanhã, quarta-feira (23), teremos uma etapa longa, serão 87,31km de percurso e 2.393m de elevação acumulada, com largada em Rio de Contas a partir das 8 horas da manhã e chegada na mesma cidade.
Resultados completos no site: www.brasilride.com