terça-feira, 22 de outubro de 2013

O CHICOTE ESTRALOU NA ETAPA RAINHA DO BRASIL RIDE 2013



DESAFIO E SUPERAÇÃO MARCAM ETAPA RAINHA DA BRASIL RIDE 2013
Reviravolta na classificação geral na categoria masculino colocam os portugueses Luís Leão Pinto e Tiago Ferreira na liderança rumo ao bicampeonato
Depois do prólogo de abertura do Brasil Ride 2013, chegou o dia dos atletas encararem nesta segunda feira, dia 21 de outubro, os 143km de muita trilha, pedra e lama, com ascensão acumulada de 3.096m; a etapa “rainha” que começou as 6:00 da manhã na cidade de Mucugê, com destino a cidade de Rio de Contas, cruzando a Chapada Diamantina – Bahia.
Por trás da rara beleza da região, se esconde enormes desafios aos atletas. O trajeto foi desafiante, obrigando os atletas que queriam brigar pelas primeiras colocações chegarem perto de seus limites. Seus corpos doloridos e a respiração ofegante demostravam as marcas de exaustão logo após a chegada.

Apesar da Brasil Ride fechar o calendário mundial de mountain bike, deixando os ciclistas mais relaxados quanto aos resultados, isso não se configurou hoje! Todos “torceram o cabo” como se diz na linguagem “ciclística”, querendo baixar seus tempos em relação ‘as demais duplas ou em relação ao ano passado. A prova foi de gente grande, como dizem!
“A gente ontem caiu mas hoje a gente levantou, como havíamos dito, estamos aqui para brigar, e vamos dar nosso melhor até o final, a Brasil Ride acaba de começar e falta muito, então, full gas!”, deixa claro o propósito da dupla portuguesa Luis Leão Pinto e Tiago Ferreira (Equipe Esteve), que ontem tiveram problemas técnicos e hoje abriram a diferença de 4 minutos para a dupla segunda colocada. Aliás,  formada pelos espanhóis Ismael Ventura e Ramon Segues (Esmtb.com), que surpreendeu desbancando alguns dos melhores ciclistas do mundo.
Christoph Sauser e Kohei Yamamoto (Specialized), que venceram o prólogo com mais de 3 minutos de vantagem, terminaram na 9a. colocação hoje, com quase 30 minutos de diferença para os primeiros colocados. “Foi a prova mais longa da minha vida, no começo estávamos super rápidos, nunca tinha andado por mais de uma hora mantendo 35km/h de média, estava tudo bem, mas a subida final foi muito longa e dura”, justifica Sauser.
“É incrivelmente dura (a subida), estamos acostumados com subidas, onde treinamos também temos subidas com a quilometragem parecida (10km), mas foi muito difícil controlar o corpo”, comenta Roel Paulissen sobre a dificuldade da última subida da prova, após cruzar o ‘Vietnã’.
O ‘Vietnã’ é um trecho de single track circundado por mata fechada com uns 10km de distância, e em razão da chuva da primeira edição da Brasil Ride, o ambiente estava úmido e abafado, recebendo esse nome carinhoso pelos atletas. A expectativa era enorme, mas com o passar dos anos e a construção de pequenas pontes para evitar o impacto ambiental, essa trilha não assustou, “tranquilo, pensava que era pior, tinham me passado que era muito difícil mas afinal não era assim tão mal…”, esclarece o ciclista português Vitor Gamito, renomado ciclista de estrada, que chegou a sofrer uma queda, mas sem interferir em seu rendimento. Com a vitória, a equipe Gold Nutrition, formada por Gamito e Paulo Freitas, assumiu a liderança na categoria Máster, a frente de Bart Brentjens e Abraão Azevedo (Brentjens Mountainbike Racing Team).
Os brasileiros Henrique Avancini e Sherman Paiva (Caloi) estão vestindo a Camisa “America” por serem a equipe melhor colocada do Brasil e das Américas na Brasil Ride, e tiveram um excelente resultado nessa segunda etapa, ficando na quinta colocação, apenas 15 minutos atrás dos primeiros colocados. Depois do prólogo estavam preocupados com uma etapa tão longa e difícil, mas mostraram que estão em ótima forma e se esforçaram para merecer esse resultado. “Foi uma prova diferente, como havia comentado ontem, foi uma prova muito longa, nos poupamos no começo porque sabíamos que no final ia faltar, tivemos um furo de pneu que conseguimos solucionar rápido e estamos satisfeitos, conseguimos garantir a camisa branca”, conclui Sherman de Paiva.
Para a terceira etapa a equipe brasileira espera bons resultados por estarem em seu território, uma prova de XC com 5 voltas num circuíto de 7 quilômetros. A largada é as 10h da manhã e a classificação geral será determinada pela média de tempo dos dois ciclistas de cada dupla, o que garantirá grandes disputas e regularidade entre os atletas.
Entre as mulheres, a equipe norte-americana Rebecca Rusch e Selene Eager (Specialized / Team CF) confirmou o favoritismo e ampliou a vantagem a frente de Daniela Genovesi e Sabrina Gobbo (RC Bikes/Brasil Ride). “Vietnã foi muito legal, muito bom! Adorei pedalar nessa trilha!”, disse Rusch. “Ela (Rebecca) está muito forte, ela estava matando no Vietnan; para mim eu estava morrendo, tava muito calor, gritando “espere por mimmmm”, mas foi uma etapa linda, a floresta, as montanhas, muito divertido!”, completou a parceira Selene.
Na categoria mista, Ivonne Kraft e Mateus Ferraz (Niner / Pedal.com) conquistaram nova vitória: “Foi um dia longo, frio, muito frio! Eu preciso de um banho quente agora!”, exclamou à alemã Ivonne Kraft, que adaptou-se ao clima brasileiro em sua quarta participação da Brasil Ride.
Na categoria Grand Master, os ciclistas do Distrito Federal, Heleno Borges e Dorivaldo de Abreu (Ice Racing Team 2 - Aguiar Tranportes), seguem na liderança rumo ao segundo título consecutivo. Já na categoria Cooporativa, que não tem caráter competitivo, disputada por equipes com 3 integrantes que revezam-se e pelo menos dois atletas precisam chegar ao final. Ainda assim, o time mais veloz do dia foi o time Dinani.
E nesta terça-feira (22) os competidores da Brasil Ride seguem com a disputa da etapa de cross country, no percurso de 7km nos arredores de Rio de Contas (BA), numa prova com total de 5 voltas, somando 34,6Km e 915 metros de subidas acumuladas.
Resultados completos no site: www.brasilride.com