sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Rubens Donizete Valeriano - Rubinho - comenta suas impressões sobre a nova Merida 27.5


Depois de ficar namorando a Merida Big Seven Team que estava exposta na Brasil Cycle Fair, pude levar a bike pra casa para testar.

Nas primeiras pedaladas, pensei que ia estranhar as rodas menores, mas logo a sensação passou e comecei a me adaptar facilmente ao novo estilo de pilotagem e aos limites de uma bike aro 27,5".

O quadro tamanho 17" se adequou muito bem à minha estatura de 1,72m. Após pequenos ajustes, consegui uma posição agressiva e ao mesmo tempo confortável


Testei a Merida Big Seven Team durante a semana toda, em diversos terrenos, tais como: asfalto, trilhas de single track travado, trilhas com rock garden e estradão batido e pude fazer uma avaliação à respeito do desempenho da bike.

Dessa forma, acho interessante destacar os seguintes pontos a respeito da bike:
- Foi possível perceber um excelente desempenho em subidas íngremes e singles tracks travados, com bastante cotovelos e curvas fechadas, superando a performance de uma bike 26".
- A bike responde bem em arrancadas. Em trechos técnicos, como rock gardens e descidas íngremes, achei o desempenho muito parecido com o das bikes 29.

Depois tirei a prova numa comparação direta, pois levei a Big Seven Team e a Big Nine Team (29") para uma pista e dei uma volta com cada uma das bikes. Assim, pude perceber que a Big Seven Team em trechos de subidas e descidas com singles tracks rápidos é mais ágil do que as Big Nine Team (29"). Já nos trechos de rock garden considerei o desempenho muito equivalente ao da Big Nine Team (29").
No domingo passado, estava com o meu companheiro de equipe, o Thiago Aroeira, que queria também testar a nova bike, treinando em um circuito em São Paulo. Estavamos com a Big Seven e com uma Big Nine.

Demos 3 voltas, onde cada um dava uma volta completa com uma das bikes, para podermos fazer as comparações. Na subida mais forte, onde realmente medimos as forças, a aceleração da Big Seven em relação à Big Nine foi impressionante. Quem estava pilotando a Big Seven tirava muita vantagem de quem estava com a Big Nine. Na Big Seven a pedalada em pé rendia muito e era possível manter esta posição por muito tempo.

Em resumo achei a bike muito adequada para todos os tipos de terrenos que eu testei, tendo algumas vantagens em determinados trechos, e portanto uma excelente escolha de bike.
( Rubinho - em postagem em sua página no Facebook. )