domingo, 15 de dezembro de 2013

Henrique Avancini e Raiza Goulão triunfam no memorável 1ª Circuito Imbatível de MTB Pague Menos by Ravelli


Nada como uma pequena fortuna de 20.000 reais para incrementar a poderosa vitória de Henrique Avancini, em uma magistral disputa com Rubens Donizete Valeriano. 


Na Elite Pró Feminina, Raiza Goulão, após duelo com Isabella Lacerda, embolsa a bagatela de 5.000 reais pelo suada vitória do 1ª Circuito Imbatível de MTB Pague Menos by Ravelli.


VÍDEO EXTRA OFICIAL CATEGORIA ELITE 

1ª Circuito Imbatível de MTB Pague Menos by Ravelli

Nesta edição: Fotos das feras do XCO, o público e o agito do 
1ª Circuito Imbatível de MTB Pague Menos by Ravelli 15-12-13

Henrique Avancini abre o jogo sobre a prova e enche a carteira. CONFIRA!
Pra mim já está valendo a temporada de 2014. Retornei aos treinos faz 20 dias, após 4 semanas de transição, que foram de muito trabalho, mas fora da bike. No meio tempo, surgiu o "Circuito Imbatível Pague Menos by Ravelli", com uma premiação jamais oferecida aos atletas do MTB. Comentei com o Helio Souza, meu treinador, que gostaria de ir, mas que seria legal esperar para ver se o corpo teria o mínimo de condições de fazer força, pois não queria fazer absolutamente nada que pudesse atrapalhar nossa preparação para 2014. Fui me sentindo legal nos treinos, mas ainda não havia realizado nenhum treinamento intenso, porém seria o suficiente para suportar a corrida. Então na quarta-feira, da semana da prova, resolvi competir.
Mas se eu não estava ali pra ganhar o dinheiro porque eu fui? O que falei em conversa com meu treinador foi que se eu organizasse uma competição de cross-country olímpico, dando uma premiação que ninguém nunca pagou, e o atual campeão brasileiro não mostrasse as caras, eu me sentiria desprestigiado...
Assim, a intenção era de prestigiar a iniciativa dos patrocinadores e organizadores em valorizar os atletas.
Afinal de contas, o mercado da bike cresceu, as competições cresceram, a exposição do MTB na mídia cresceu (e muito)...Então porque os atletas de elite, que são a vitrine do esporte e do mercado, devem ficar de fora desse crescimento?Não faz sentido.
No sábado tivemos um contra-relógio individual, onde cravei o sétimo tempo - e eu não poupei as pernas não. Acreditava que seria mais ou menos a posição que eu andaria na prova de domingo. Quando largamos no domingo, a primeira volta foi sofrida. Me mantive no primeiro bloco aos trancos e barrancos.
Havia um pulo meio traiçoeiro no circuito. Uma vala, com um salto estranho. O que aconteceu foi que algum "gente boa", aumentou o buraco de sábado para domingo, e na primeira volta dei aquele susto e deixei a ponta da roda traseira na recepção...Por um momento eu pensei: "Ah não vou ficar me matando aqui por causa de dinheiro". Gosto e preciso de dinheiro, mas gosto muito mais de ganhar corridas, quando me preparo para ganhar...Ai logo depois me dei um esporro:"Ah deixa de ser fresco. Vai ficar regulando buraquinho agora!?Se cair, caiu...soca a bota. Alinhou é pra fazer força!". Ai entrei na corrida. Na segunda volta o ritmo ficou menos intenso por um momento e foi tudo o que eu precisava para entrar na prova. A partir daí, no restante das sete voltas eu fui melhorando. Na terceira volta, estávamos em um grupo de 4 atletas (Eu, Rubinho, Sherman e Firmino). Resolvi dar um ataque pra ver como seria a resposta deles. Ataquei a abri. Fui alcançado no final da subida mais longa pelo Rubinho e depois vinham o Firmino e o Sherman, com isso percebi que tinha condições de brigar pela prova. Na quarta volta eu e Rubinho acabamos abrindo e aí começamos nossa prova particular. O Rubinho tentou alguns ataques, mas percebi que ele também estava forçando bastante. Eu também dei umas aceleradas, mas a diferença era pequena. Então me concentrei para dar um ataque. Aquela famosa "paulada seca" e definir a prova abrindo ou tomando o contra-ataque e sobrando. 
No final da sexta volta dei tudo na última subida e consegui abrir uma diferença boa para o Rubinho. Foi nessa hora que eu vi como ainda estou despreparado para o esforço intenso, mas surpreendentemente estava rápido, e sofrendo muito ou pouco,no final das contas é a velocidade que ganha a corrida. Respirei um pouco na reta final e fiz a última volta mais cadenciada e tentando forçar nos trechos menos arriscados. Venci a prova e fiquei sinceramente surpreso, porque acredito estar longe de ficar realmente competitivo. 

Muito trabalho pela frente até começar a competir de verdade, mas nada mal vencer ainda na pré-temporada e ainda colocar um dim dim no bolso.
Vamos em frente e pra cima deles!

Na categoria Sport o Professor Arnaldo. Editor Chefe da "Nóis na Fita A TV" com o patrocínio da Biketoor BikeShop chega na 12a. colocação entre as feras da VETERANO C, figurando na posição 46 na Geral Sport





Fotos das feras do XCO, o público e o agito do 
 1ª Circuito Imbatível de MTB Pague Menos by Ravelli 15-12-13 

  Artigo em constante edição, com fotos e vídeos. FIQUE LIGADO!