sábado, 19 de julho de 2014

Etapa 11 Tremenda fria entram os bici peregrinos - Puebla de Sanabria a A Gudiña

"Como de costume, levantamo-nos bem cedo, preparamos os alforjes, tomamos o café da manhã e, às 06h30, deixamos Puebla de Sanabria com bastante frio e blusas corta vento. Tudo normal, até que percebemos uma garoa que aos poucos foi aumentando, tornando-se chuva fina e depois chuva. 

Na primeira subida longa, cerca de 8 km, pedalávamos e, molhados, sentíamos muito frio. A cada 'diminuição na precipitação, pensávamos que tínhamos passado pela última chuva e nem imaginávamos o que nos esperava ..." - inicia a conversa Gilmar Duarte.

"Felizes por ver a temperatura cair nos últimos dias de 40 para 20 graus durante todo o dia, já sabíamos que estaria frio e nos agasalhamos melhor, pois iríamos encarar 58 km com 1.358 metros de subida acumulada. 

O que não estava no nosso programa era a temperatura caindo a 12 graus na medida que chegávamos ao cume do Caminho "Via de la Plata", ou seja, 1.350 metros de altitude, e o pior, começou a chover de verdade.


E foram muitos e muitos quilômetros de subidão, devidamente documentado por placas de aviso colocadas na rodovia, já que por trilha era impossível continuar, dado ao barro e trechos de pedras e areia, comuns nessa região.

Faltando 11 km, no povoado de A Vilavella em terras da Comunidade Autônoma de Galicia, (isso equivalente a um Estado no Brasil), que abarca nosso destino final, Santiago de Compostela, a chuva caiu de vez sem dó en Piedade.

Chegamos a A Gudiña totalmente ensopados e tirintando de frio, que só foi amenizado com uma boa taça de vinho galego, festejando um dia totalmente inesperado da nossa incrível peregrinação por de terras de Don Quijote de la Mancha" - conclui o Professor Arnaldo, editor chefe da "Nóis na Fita A TV".



Fotos da Etapa 11 Tremenda fria entram os bici peregrinos - Puebla de Sanabria a A Gudiña