terça-feira, 7 de abril de 2015

Na neve: Jaqueline Mourão encara frio canadense sobre duas rodas

Especialista em desafios, a multiatleta Scott topou pedalar a “gordinha” Big Ed na baixa temperatura do Canadá
São Paulo (SP) – Frio, calor, neve, areia, estrada e até terra. Não existe desafio que a multiatleta Jaqueline Mourão não encare, seja dentro ou fora das pistas. Primeira e única brasileira a representar o país nas edições de Verão e Inverno dos Jogos Olímpicos, Jaque topou pedalar a Big Ed, fat bike da Scott no frio intenso das ruas de Quebec, no Canadá.
“Eu quero uma Big Ed pra mim o mais rápido possível! Adorei! Pedal de qualidade em trilhas durante o pleno inverno” destaca a atleta com bom humor.
Sobre duas rodas, ela se agasalhou bem e partiu para o frio das ruas de Quebec, no Canadá. O resultado foi uma ciclista – eleita cinco vezes pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro) a melhor atleta de mountain bike do Brasil – totalmente apaixonada.

“É muito boa para praticar cadência alta, equilíbrio, tocada delicada e precisa (se sair do traçado com certeza vai afundar). É uma opção para todas as idades que, com escolha certa dos percursos, pode agradar todos os níveis técnicos. Outro fator positivo é que dá para arriscar mais, pois se cair, dificilmente vai se machucar. A neve é fofinha fora das pistas”, finaliza Jaque.
E mais! Especialista em esportes na neve, Jaque Mourão recomenda as Fat Bikes para pessoas como ela: apaixonadas por pedal e que vivam em países com a temperatura baixa.
“A bike pode ser uma solução para quem não sabe esquiar ou quer continuar a pedalar no inverno outdoor. É uma modalidade para complementar o treinamento e adicionar mais variedade às planilhas de treinamento”.

Big Ed no Brasil
Ideal para pedalar em baixas temperaturas, a Big Ed também é referência em países de clima tropical como o Brasil. A bicicleta “gordinha” da Scott ganha cada vez mais fãs por todo mundo devido a sua versatilidade. Com a Big Ed, o brasileiro apaixonado por bike pode pedalar no asfalto, na areia ou até na lama sem ter grandes problemas.
“Como sempre o design diferenciado da marca e o know how dos engenheiros criaram uma ‘super máquina’. O design e a geometria já reconhecida das bikes Scott são os pontos altos desta bike. Ela é linda, geometria perfeita e as curvas largas do quadro foram feitas para não brigar com a largura do pneu, que é algo super bem pensado” finaliza Jaque.
A Scott é considerada uma das principais marcas do ciclismo mundial. Com grande foco em engenharia, tecnologia e inovação, seus produtos são referência quando o assunto é bicicleta. No Brasil, a marca suíça é distribuída há mais de 20 anos pela IGP Sports, sempre trabalhando com marcas premium de prestígio mundial.