segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Segurança e mordomias nos treinos monitorados pela assessoria do Team Liber Cycling


O Professor Arnaldo, editor chefe da "Nóis na Fita a TV" neste último domingo, dia 14 de fevereiro, participou e conferiu o treino de ciclismo de estrada assessorado pelo TEAM LIBER CYCLING a convite do nosso camarada Beto Liber, pela Estrada dos Romeiros, nas cercanias da cidade de São Paulo, e aprovou o sistema de treino monitorado.

"Como é sabido por milhares de seguidores em todas as minhas mídias sociais, "minha praia" é o Mountain Bike, que convivo em competições, treinos e ciclovagens por esse mundo afora" - inicia este relato do Professor Arnaldo.


"No entanto, também se sabe que treinos de speed são fundamentais para a melhora de performance daqueles que querem ser competitivos no MTB, razão pela qual, com mais tempo, desde meados do ano passado comecei a treinar com minha bike estradeira.

Assim, desde então, por muitas vezes cruzei com o amigo Beto Liber, na Ciclovia da Marginal de Pinheiros, ocasião em que o camarada me convidou para fazer o treino deste domingo na Estrada dos Romeiros, com a assessoria do Team Liber Cycling.

De cara ao chegar a Aldeia da Serra, já fui informado, que havia "carro de apoio", serviço de manutenção nas bikes com um especialista, água, suco, isotônico, lanches e refrigerantes para aqueles que não dispensam uma Cola-Cola.


Nos meus primeiros metros de pedal, já fui avisado que o meu cassete não era ideal para subidas, pois tinha 25 dentes, bem como fui instruído como ter uma melhor postura na bike, além dos ajustes que foram feitos na minha amada bike, que por sinal tinha a roda dianteira montada ao contrário, pois sou um ogro em matéria de ajustes. 


Um dos pontos alto do treino, além do aprendizado, foi ter um veículo de apoio com mecânico, que também servia para proteger-nos dos carros que passavam pelo percurso de 74 km, com mais de 1.700 metros de elevação.

Na volta minha roda traseira foi trocada por uma com cassete de 28 dentes, ideal para subidas, que fez com que eu pudesse terminar o treino sem por o pé no chão, além de ter a minha caramanhola sempre abastecida com água bem geladinha.


Em resumo, é bem mais seguro treinar pelas nossas estradas com uma assessoria dessas (observe o veículo de apoio me protegendo na foto ao lado), pois vemos a cada semana, amigos nossos serem atropelados e perderem a vida, como foi o caso do meu querido Claudio Clarindo, que perdeu a vida ao treinar na Rio-Santos, sem nada que o protegesse desses malucos do volante, mesmo que se tenha que pagar por esse serviço, que me pareceu essencial para garantir a segurança de todos durante qualquer treino pelas nossas perigosas rodovias." - conclui o Professor Arnaldo, que está determinado a garantir a sua segurança, além de garantir um melhor aprendizado na modalidade.